Unidades de Tratamento de Esgotos - UTE

FILTRAÇÃO TERCEÁRIA

Embora a operação de filtração componha convencionalmente a etapa de clarificação das estações de tratamento de águas de abastecimento, seu emprego para o tratamento de esgotos não é usual e recorrente, sendo somente utilizada em casos em que se requeira o polimento do efluente final e a remoção de P. Neste sentido, a filtração aplicada ao tratamento dos esgotos sanitários se caracteriza como uma tecnologia de tratamento terciário, sendo usual denominá-la filtração terciária. A operação pode ou não fazer uso de coagulantes e floculantes para a remoção dos sólidos em suspensão efluentes do tratamento secundário. Sem o emprego de produtos químicos, a filtração de efluentes secundários contendo 30 mgSST/L, é capaz de tipicamente gerar efluentes segundo concentrações inferiores a 10 mgSST/L e de até 0,1mgP/L. A filtração oferece garantia sanitária quanto a limitação de 1 ovos de helminto/L presente no efluente e, baseada na obtenção de valores efluentes de Turbidez inferiores a 5 NTU, também oferece garantia quanto a ausência de (oo)cistos de protozoários. Na unidade ocorrem as etapas de filtração, propriamente dita, e de limpeza, comumente denominada etapa de retrolavagem. Durante a etapa de filtração, o material particulado é continuamente removido em função da percolação e passagem dos esgotos através do meio filtrante de material granular e por meio dos mecânismos de transporte e aderência. O término da etapa de filtração é determinado em função da deterioração da qualidade do efluente filtrado e/ou do incremento da perda de carga da unidade, sendo o tempo de duração decorrente denominado “corrida de filtração”. Quando um ou ambos os estados operacionais são alcançados, a unidade é submetida a etapa de limpeza para remoção do material particulado retido e acumulado no meio filtrante.

As duas unidades de filtração terciária do CESA/UFRJ são de seção superficial circular e apresentam diâmetro de 1,20 m e altura de meio filtrante de 0,70 m. As unidades se diferenciam em função da granulometria do meio filtrante - 1,1 mm e 1,6 mm. Em estrutura de fibra de vidro, possuem janela em acrílico que permite a visualização do meio filtrante e das operações de filtração descendente e de retrolavagem.